O Pan na Record: ótimo, só que ao contrário

22 out

por Sheila Vieira

Reclamar das transmissões da Globo é como falar mal da comida da sua mãe: quando você não tiver, vai sentir falta. Essa é a sensação da maioria das pessoas ao assistir ao Pan-americano de Guadalajara pela Record neste ano. Porém, antes de ficarmos saudosistas e colocarmos #VoltaGalvão nos Trending Topics, vamos pensar um pouco no que exatamente nos incomoda.

Narradores que gritam descontroladamente

Ninguém quer um narrador de velório numa transmissão, afinal, esporte é algo que lida com torcida, um certo orgulho nacional e histórias de superação. Mas, como toda boa narrativa que se preze, há momentos mais calmos e o clímax. 

Não há razão para manter um ápice em todos os segundos de uma partida por um motivo bem claro: telespectadores não são burros e sabem quando se está forçando a barra. O narrador deve economizar o grito para momentos realmente marcantes. Um belo exemplo é o “Olha a Jamanta” de Everaldo Marques na NFL: 

Tive o privilégio de ver isso ao vivo. 

Repórteres inconvenientes de zona mista

Atletas dando entrevista logo após uma partida ou prova servem apenas para uma coisa: provocar frases bizarras e sem nenhum sentido. O que é muito compreensível. Tente fazer um esforço físico descomunal e em seguida discorrer sobre o realismo mágico. Não rola. Mesmo assim, eles param, tentam formular frases que façam sentido e sorrir. Até que o repórter começa a fazer um TALK-SHOW no meio da zona mista. Veja (a partir de 2min e 20s): 

 

A repórter Adriana Araújo também, digamos, foi bem animada ao lado de Thiago Pereira. Não achei o vídeo, mas encontrei o relato do blog UOL Esporte Vê TV:  

“Ele me deu um abraço molhado e dourado depois que ganhou o primeiro ouro do Brasil no Pan. Mas ontem ele ganhou outra medalha e nós não vimos ele no pódio. Eu quero te pedir outro abraço hoje à noite. Vamos combinar um abraço depois que você sair da piscina?”, perguntou Adriana, que recebeu um discreto “beleza, fechado” do atleta.

Beleza, fechado. 

Não vejo problemas em ser informal, mas tudo tem seu tempo. Se você quer mostrar um lado diferente e mais descontraído dos atletas, tente puxar um assunto diferente numa entrevista coletiva (no final) ou exclusiva, quando a adrenalina da competição já passou. Mas, PELAMORDEDEUS, nunca pegue os braços de um nadador que acabou de sair da piscina e puxe-os para cima. Isso é tão sem noção quanto o atleta tomar seu microfone e tacar na piscina. 

Reportagens melodramáticas

Usar uma narrativa menos robotizada numa reportagem é ótimo, refrescante, chama a atenção. Mas saiba escolher suas referências. A matéria no dia seguinte da lesão da Jaqueline, por exemplo, me lembrou aqueles episódios pós-acidente com amnésia das novelas da Thalia. 

O caso Leonardo de Deus (que ganhou o ouro, foi desclassificado por uma suposta irregularidade na touca e teve o resultado devolvido) foi contado no dia seguinte pelo programa “Hoje em Dia” como um filme de suspense: quem estava vendo pela primeira vez o ocorrido descobriu que ele realmente ficou com o ouro só no final. Desnê, para dizer o mínimo. 

Agora vamos pensar em quais dessas coisas nós vemos também na Globo: 

– narradores gritando descontroladamente: o Galvão é irritante, mas sabe ficar quieto na hora certa, afinal, a voz dele não aguenta mais tanto.

– repórteres inconvenientes na zona mista: nope. Você pode odiar o quanto a Globo monopoliza as transmissões, defende a CBF, não investiga certas coisas, mas não pode negar um fato: os repórteres de lá são BONS. Eles entendem do esporte, têm experiência e sabem dosar o sério e o trivial.

– reportagens melodramáticas: hum… não mais. Agora a Globo investe mais em reportagens mais ligadas ao humor.

No ano que vem, teremos as Olimpíadas na Record, no Sportv e na ESPN. Qual canal você escolherá?

Anúncios

9 Respostas to “O Pan na Record: ótimo, só que ao contrário”

  1. Jader Magri 10/22/2011 às 18:57 #

    Bom texto, Sheila. Mas é isso mesmo, geral curte falar mal da Globo, mas quando tem ela e outra emissora da TV Aberta passando um evento juntas, a maioria opta pela emissora carioca. No Pan a Record além de estar fazendo isso tudo que você escreveu, também tem feito algo que me irrita: não coloca o escrito de “ao vivo”, daí quando eles tão passando VT, você também pensa que é ao vivo, e no meu caso, até comento algo no Twitter, sendo avisado depois que a prova foi do dia anterior 😛

  2. Mário Sérgio Cruz 10/22/2011 às 19:17 #

    A única vantagem da transmissão do Pan ser feita pela Record é que a emissora é mais maleável que a Globo quanto à grade. Eu sinceramente não imagino a Grobs exibindo alguma competição importante durante o JN ou da 3ª novela. No máximo, encaixaria um flash em algum intervalo (como fez em Winnipeg, Santo Domingo, no Rio e deve ter feito em Atlanta. Ou não). Tanto que tem repassado as transmissões (do futebol e de eventos deste porte) para a Band, que não representa uma real ameaça em termos de audiência.

    Mas falta know-how para a Record. Os repórteres, “narradores” (Reinaldo Gotino narrando taekwondo!) e apresentadores não fazem esporte no dia-a-dia e acabam não só se perdendo na maneira de conduzir a transmissão, como podem até se queimar em um futuro próximo. Imagina se a Adriana Araújo vai amanhã cobrir alguma coisa no congresso… Até mesmo os caras que decidem o que vai para o ar no canal do bispo escolherem um VT de uma coisa que o Brasil ganhou a arriscar quebrar a cara com um epic fail master de algum atleta tupiquim mostra esse despreparo.

    Eu espero que depois do Pan, a Record faça um balanço dos deslizes que tem cometido para não repetir a dose no ano que vem. A primeira coisa que posso sugerir é utilizar o Esporte Fantástico como um laboratório para a equipe de reportagem. Transmite uma prova de judô hoje, uma natação na semana que vem, atlestimo na outra, para que eles conhecem os atletas e saibam como trabalhar com cada modalidade.

    Bom, é isso.
    Boa sorte com o TCC e já sabe que pode surtar a vontade na timeline.

  3. Filipe Ribeiro 10/22/2011 às 23:51 #

    É bem isso mesmo. #VOLTAGLOBO

    A Record critica a Globo, mas a copia tanto que até as coisas ruins vão junto. O caso Leonardo de Deus foi um exemplo. Não o debate do Hoje em Dia (que eu não vi), mas a “cobertura” ao vivo. Como era hora da novela, a transmissão começou na hora em que eles caíram na piscina e terminou tão logo Adriana Araújo concluiu seu showzinho. Mas aí, a meio segundo do corte, aparece o GC com “Leonardo de Deus – DSQ”. E nada de voltar o Álvaro José pra falar por quê ele tinha sido desclassificado. Precisei ligar novamente o computador e acompanhar a transmissão do Terra pra entender a história. Enquanto isso, lá estavam as Vidas (Toscas) Em Jogo. Só na hora da outra prova que a Record falou no caso. Mas aí a medalha já tinha sido devolvida e a história nem tinha mais graça.

    Outro caso inexplicável foi mostrar o primeiro set da estreia de Juliana e Larissa e, no intervalo, mudar pra VT da ginástica rítmica do dia anterior. Senso cadê?!

    Enfim. Só não estou mais nervoso porque sei que em 2012 vai ser tudo diferente. SporTV, ESPN, BandSports e Terra. Salvo por circunstâncias extremamente excepcionais, não precisaremos da Record.

  4. Igor Sausmikat 10/23/2011 às 1:35 #

    Se o Terra até lá tiver transmitindo sem som e sem narração,juntando a ESPN e algumas zapeadas,é assim que vou além das infos via twitter e até se brincar links por aí!
    Eu vi algo na Tyc Sports da Argentina mto bom,o Gonzalo Bonadeo está acompanhando a competição lá e ele não dá uma deste povo!a Record e sua falta de costume,só que no futebol o Romário tá matando a pau nos comentários,já a Virna e o Xuxa,fala sério hein e olha que eu tava curioso pra saber como Saretta se sairia nos coments do tênis!
    Enfim,nas Olimpíadas tentarei ficar ligado em mtas coisas e prezando sempre o bom,as pessoas não precisam ser obrigadas a escutar e aturar aquilo e sabendo que tem opções.
    Abraço

  5. Igor Sausmikat 10/23/2011 às 1:37 #

    E um detalhe tb: como o Maurício Torres perdeu a mão de fazer esporte hein,pra quem se via ele narrando campeonato carioca,hoje anda inoportuno nas narrações!acorda Maurício Torres!
    Comentaram do Gottino aí,o Reinaldo Gottino é uma negação tipo Cláudio Uchôa que tenta narra qualquer esporte e fica mais como narrador de velório mesmo!2 negações,na devida comparação!

  6. Amanda Previdelli 10/23/2011 às 18:14 #

    Que texto sensacional, Sheila, sério. Adoro esse seu jeito leve de escrever e concordo muito com o que você falou. A Record tá forçando amizade com os atletas e isso me incomoda. Uma coisa que a Globo também faz é essa supervalorização do atleta. Todo jornalista ama o César Cielo, acho isso errado. Como vou confiar no repórter na hora que o Cielo for suspeito de doping? Ah, não.

    E ano que vem minha TV vai estar ligada na ESPN.

  7. Thiago Vander 10/24/2011 às 11:13 #

    Como disse o Mário Sérgio, o que pega é a falta do Know-how. Fico imaginando, por exemplo, se fosse a Band, que um dia já foi o “canal do esporte”, transmitindo. Mesmo com menos grana e provavelmente com uma equipe bem menor in loco, eles não dariam tantas mancadas (em que pese o Bolacha trocando o nome de todo mundo).
    Um segundo ponto é que a Record está querendo dar ao Pan uma dimenssão que ele não tem, muito provavelmete contamindada pelo excesso de cobertura que o evento teve em 2007, por ser no Rio de Janeiro. Tá, ganhar o medalha de ouro no Pan é legal e tudo, mas, por exemplo, para as seleções de vôlei NÃO é mais importante do que fazer uma bom copa do mundo mês que vem e conseguir a vaga nos jogos olípicos. Além disso, em várias competições não estão presentes nem a elite da própria américa.O terceiro ponto irritante é a auto-vangloriação da Record por estarem transmitindo com exclusividade. Criticam tanto a Globo e fazem a mesma coisa?
    Por fim, o ufanismo durante as transmissões é mais ridículo do que o Galvão na F1.

    Bom depois da críticas,vamos à reflexão: Acho muito válida a iniciativada Record de tentar marcar território no campo esportivo. Como é a 1ª vez que eles estão neste tipo de cobertura é mais do que natural que existam erros. O problema é que alguns teriam sido facilmente evitados com um pouquinho de bom senso e preparação. Aliás, me lembro agora que em 2010 eles transmitiram os jogos olímpicos de inverno, logo não assim tão primeira vez. Continuando: É essesncial que se invista numa equipe específica de esportes. A Adriana Araújo é excelente, lembro-me dela quando ainda era da Globo-Minas, mas cobria…. Política. Não adianta levar os figurões do jornalismo pro esporte achando que qualquer um dá conta. alguns sim, outros não #filosofei. Ao contrário do que alguns podem pensar o publico de esportes é sim muito exigente e não quer apenas ver o evento com um cidadão falndo abobrinhas na TV. Ele quer alguem que faça justamente ao contrário: mostre, nas sua condição de “especialista” algo diferenciado.

    Para terminar, o que eu considero mais imporante é que não haja exclisivdade de certos eventos nem na TV aberta nem na fechada, seja por parte de qualquer canal for. Quem gosta de NFL está vendo como está sendo ruim essa temporada sem o band sports, pois a ESPN tem colocado vários jogos da tarde só no Canal em HD que restrito a boa parte da população por causa so preço do pacote. Seria muito melhor, por exemplo, ter a Glob e a record trasmintidoo o Pan, pois aí não bastaria á emissora paulista transmitir, ela teria que fazer melhor do que a outra e quem ganharia seríamos nós.

  8. Juliana 10/30/2011 às 17:58 #

    Sensacional o texto, Sheila!!!
    Concordo tbm com tudo!! O monopólio da Globo irrita, deixa a tv brasileira meio entediante as vezes, mas a verdade é que ela está anos-luz à frente das outras emissoras brasileiras… =/
    Gosto da ESPN tbm. Apesar deles não terem muitos recursos que nem o Sportv, são bem mais entendidos do assunto.

  9. Lê Scalia 10/30/2011 às 23:21 #

    SporTV, com o Milton Leite narrando todo e qualquer esporte, entenda ele do assunto ou não. Entao… jah tive longas discussões com antiglobais, geralmente por causa de futebol. O que acontece é o seguinte: assista 5 minutos de qq coisa que passou na Record e tenha sonhos com as transmissões da Globo. Sério. E nem precisa ir tão longe, basta assistir qualquer jogo na Band com o chato do Luciano do Valle e a gritaria do Neto… não dá. O mínimo que a Globo oferece é qualidade e bom senso.
    Isso sem nem falar das transmissões safadinhas de coisas que já tinham acontecido! Mto fanfarrão esse povo…
    E maaaaaais, q todo mundo faz e eu sempre morro de vergonha alheia: colocar cameras em qualquer lugar pra parentes/atletas machucados/pessoas xis acompanharem e ficarem sem graça sempre que eles têm que aparecer. Não consigo definir se é mais desconfortável pra eles ou pra mim…

    Excelente post, She. Ri mto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: